Tempestade de ideias

Lia Ernst Hans Gombrich. Encantado com Leonardo da Vinci, ao anoitecer de uma tarde amazônica. Absorto. Os olhos em “Estudos anatômicos”, laringe e perna, de 1510. Quanta perfeição! Pura arte e anatomia nunca vistas. A última ceia. Mona Lisa. Os olhos deslizam das páginas. À esquerda. Clarões, nuvens, luzes. Sinalizadores do pássaro de aço que da Vinci idealizara. Os olhos voltam-se para as páginas. Mona Lisa. Uma força me impele a erguer os olhos. Duas mãos estendidas por sobre a poltrona 10A chegam a me assustar. O sinal da presença humana tirou-me dos momentos de transe total nos quais vivia cada detalhe de Gombrich sobre da Vinci. A respiração oscilou o ritmo. Um rosto de menina surge entre aquelas mãos, na altura dos cotovelos, lança-me um sorriso terno, infantil e diz; “Tio, porque o senhor deixa aquilo aberto?” e dirige o braço direito para a janela da poltrona 11A na qual eu estava sentado. “É para olhar a nuvens e curtir essa sensação de liberdade”. Sorri. Ela sorriu. “Tomei um susto com as suas mãos”. Ela abriu ainda mais o sorriso. CONTINUA!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Estremeço

Sonho contigo o dia inteiro
Com aquela ponta do dedo
Que toca meu corpo ligeiro
E se apossa de cada segredo.
Até de longe estremeço
Em cada novo recomeço
Bate enorme ansiedade
Que se confunde com saudade.
Vontade de sentir o te carinho
De me alojar inteiro no teu ninho
Prazer assim não há igual
Nosso desejo de animal.
Materializado em cada toque
Teu beijo é tudo o que envolve
E me transforma em um menino
Que segue a vida sem destino.


domingo, 28 de maio de 2017

Atrevida

Quando você me olha
Com este jeito atrevido
Sinto a ponta dos teus dentes
Como se eu fosse mordido.
Olho, está tudo vermelho
Os dentes marcam o pelo
Da pele que se arrepia
Com toda esta magia.
Você me come com os olhos
E eu reajo com os poros
Os pelos ficam enrijecidos
Com o teu olhar atrevido.
De me excitar à distância
Até com tuas lembranças
Atrevimento mais que total
Nosso amor, louco e fatal.


sábado, 27 de maio de 2017

Entrega total

Vivo a me tocar por inteiro
Para sentir o teu cheiro
Impregnado no meu corpo
Será que fiquei louco?
Parece alucinação
Sonhar com tanto tesão
E acordar excitado
Sem você ao meu lado.
Recorro às fotografias
Tiradas no mesmo dia
Da nossa primeira vez
E lembro o que se fez.
Naquele quarto escuro
Derrubamos cada muro
Gozamos infinitamente
Feito um casal demente.
Prazer sem medidas vivemos
E até hoje nos queremos.